Servidores da UFPI entram em greve por tempo indeterminado

O Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal do Piauí (Sintufi) deflagrou na manhã desta sexta-feira (10/11) uma greve por tempo indeterminado. Segundo os servidores técnicos administrativos, o ato tem como base a defesa das instituições de ensino superior no Brasil.

Serviços essenciais das campi da universidade serão mantidos com 30% dos servidores, outros serviços estarão paralisados.

Com o movimento, além de Teresina, os campi de Bom Jesus, Floriano, Parnaíba e Picos também serão afetados, além de escolas agrícolas. O movimento não inclui os servidores os Institutos Federais.

Servidores realizam movimentos contra “todos os ataques do governo federal como retirada dos direitos e sucateamento do serviço público” e reivindicam também pela defesa da Carreira dos TAES, negociação salarial, contra o aumento da contribuição previdenciária, contra  a reforma da Previdência, em defesa do ensino superior público, gratuito e de qualidade, contra o PLS116/17- demissão por avaliação negativa (fim da estabilidade) e em defesa dos hospitais universitários.

Os manifestantes realizam atos em Teresina e no dia 13 de novembro vão se reunir com o reitor da UFPI.

PROFESSORES FAZEM PARALISAÇÃO
Nesta sexta a Associação de Docentes da Universidade Federal do Piauí (ADUFPI/SSIND),comunica que, acompanhando deliberações nacionais e no estado, decidiram por unanimidade, aderir ao movimento paredista do dia “10 de novembro – Dia Nacional de Lutas, Paralisação e Greve”, em defesa dos direitos dos trabalhadores e contra as reformas e os ataques do governo Temer, que atingem sobremaneira tanto todas as instituições públicas como o serviço público federal, estadual e municipal.

Os professores também realizam atos no estado.

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA